Ir para


Fanfic Do Questão


1 reply to this topic

#1 Onslaught

    First Impact

  • Members
  • 68 Posts:
  • Gender:Male
  • Location:Manaus/Amazonas

Postou 10 setembro 2009 - 10:25

QUOTE
New York! New York!

— É sempre assim?

— O trânsito? — responde o taxista, com forte sotaque brasileiro — Todo dia, mas hoje tá pior. Deve ter alguma encrenca lá pros lados da 5ª Avenida.

— Como você sabe?

— Sempre tem. — o taxista dá um sorriso — Afinal, isto é Nova Iorque.

Vic Sage recosta-se, contrariado, no banco traseiro do táxi. Nos últimos 25 minutos, o carro não andou mais do que duas quadras. O motorista — um tal de Délio, segundo a ficha de identificação no interior do táxi — tenta puxar assunto.

— Primeira vez na cidade?

— Não. Mas bem que podia ser a última.

— Hehe... Veio a trabalho?

— E existe algum outro motivo para se vir aqui?

— Ah, deixa disso. Não é tão mal assim... Com o tempo a gente se acostuma. Vindo de onde?

— Hub City.

— Hub? E ainda tá reclamando? — sorri o taxista, ironicamente.

— Touché. — responde Vic, também sorrindo.

— Quer ouvir um pouco de música?

O motorista liga o rádio, mas não é música que os dois homens ouvem.

"... devem evitar a região da 5ª Avenida, onde o Quarteto Fantástico enfrenta..."

— Não falei? — pergunta o taxista, com ar de quem conhece a fundo a cidade — Sabia que tinha alguma encrenca pr'aqueles lados.

— É... — Sage pensa por alguns instantes. — Vou ficar por aqui mesmo. Faço o resto do caminho a pé.

— Você é quem manda. São US$ 18,95.

"Nova Iorque...", pensa Vic, enquanto caminha pela rua. "Capital mundial do spandex. Há mais meta-humanos por metro quadrado nesse lugar do que em qualquer lugar do mundo. Boa parte dos chamados 'super-heróis' têm sua base de operações aqui. Mesmo assim — ou talvez por isso mesmo — tem sempre algum idiota fantasiado tentando arranjar confusão. Típica idiotice que eu nunca vou entender."

O repórter atravessa a rua com calma, contrastando com os apressados nova-iorquinos, eternamente atrasados.

"Nesse ponto, sou mais Hub City. Pelo menos não temos malucos com a cueca por fora da calças se estapeando em pleno centro. Acho que o tipo de lixo que temos por lá não tem glamour o suficiente para atrair esses caras."

Sage pára diante de uma banca de jornais e vê na primeira do Clarim Diário a notícia sobre a batalha entre o Homem-Aranha e o Abutre, ao lado de um editorial furioso pedindo a prisão do herói aracnídeo.*

"Homem-Aranha. Onde mais se poderia ver um sujeito de pijama azul e vermelho quebrando o pau com um velho decrépito num uniforme verde? Só mesmo em Nova Iorque. Há fantasiados para todos os gostos. Desde os oficiais, como o Quarteto Fantástico, aos renegados, como os X-Men, passando por moleques superpoderosos como os Titãs e os Novos Guerreiros, vigilantes solitários como o Demolidor e malucos homicidas, como Frank Castle, o tal Justiceiro. Sem falar nos menos cotados".

Caminhando distraidamente, Sage vê um vagabundo roubar a bolsa de uma mulher uns 35 metros à sua frente. Enquanto a vítima começa a gritar, o marginal corre na direção do repórter, que continua andando calmamente. As pessoas se afastam para dar passagem ao bandido, alheias aos apelos da desesperados. A corrida, porém, é subitamente interrompida por Sage, que desfere um golpe circular com a lateral interna da mão no nariz do bandido. O impacto tira o homem do chão por um momento, fazendo-o desabar pesadamente em seguida, desacordado. O repórter então se abaixa sem pressa, pega a bolsa e entrega à mulher, que se desmancha em agradecimentos. Sem prestar muita atenção, Vic se despede e continua seu caminho.

"Algumas pessoas me acham um herói", filosofa, tocando involuntariamente na fivela do cinto que esconde a máscara de seu alter-ego, o Questão. "Que bobagem. Sou só um curioso. Como foi que o Batman me definiu daquela vez, mesmo? 'Um idiota dando chutes fingindo combater a corrupção'. Hehehe. Bem, pelo menos eu não me visto como um rato com asas."

Na vitrine de uma grande magazine, os televisores mostram Trish Tilby — "tremenda gata", pensa Vic, "será que vai estar na coletiva?" — falando sobre o recente incidente entre os Vingadores e a IMA.** "A imprensa caiu de pau nos coitados, que marcaram uma coletiva para hoje. Só assim para me forçarem a vir para este antro de malucos. De que adianta salvar o mundo trocentas vezes se ninguém te dá uma folguinha? Só porque morreram 20? E na Rússia, onde o tal Savage explodiu uma cidade inteira? Mais de um milhão de pessoas de uma vez! Mas, como eles são russos, quem liga? Quem liga? Putz, que trocadilho infame!"

Próximo a 5ª Avenida, um cordão de isolamento afasta os curiosos. À distância, os sons da batalha entre o Quarteto e quem quer que seja — e afinal, quem se importa? — mostram que as coisas estão quentes. Os policiais, visivelmente irritados, pedem às pessoas que se afastem.

— Fiquem atrás da linha, porra! — grita o guarda — Tão querendo levar um carro na cabeça?

"Só em Nova Iorque uma frase assim faria sentido...", pensa Sage. Nem bem conclui o pensamento, um cometa alaranjado passa a cinco metros do chão, caindo com estrépito sobre um carro estacionado. A multidão, que até então tentava ver um pouco de ação, começa a gritar e a correr. O repórter sai do caminho, abrindo passagem para o furioso Coisa.

— Tá na hora do pau! — grita Benjamin Grimm, visivelmente furioso.

"Será que alguém já disse a ele que esse grito de guerra, fora do contexto, é extremamente comprometedor?" Sage vê o Coisa levantar um carro acima da cabeça e arremessá-lo a vários metros de distância. "Hmm... Acho que não."

Deixando o local, o repórter segue pelas ruas em direção à Mansão dos Vingadores. Sua mente continua a divagar. "Trânsito insano, aluguéis caros, seguros altíssimos e um bando de marmanjos de colante trocando tabefes e destruindo a cidade", pondera Sage, chegando finalmente ao seu destino. "Por que diabos alguém ia querer morar num lugar assim?"

— Com licença. Você não é Vic Sage?

— Sim. E você é Trish Tilby, certo? Como sabe meu nome?

— Estive em Hub City há alguns meses e vi uma de suas reportagens. Fiquei muito impressionada.

— Obrigado. Também vi algumas de suas matérias. — mente Sage — Grande material.

— Obrigado. Veio para a coletiva?

— Sim. O pessoal da equipe local deve estar chegando logo. Vamos transmitir ao vivo.

— E você volta para Hub City hoje mesmo?

Sage olha para a bela repórter antes de responder.

— Só se eu não conseguir.

— A entrevista?

— Não. Levá-la para jantar.

Surpresa, Trish ruboriza.

Bem, eu... Está bem. Será um prazer.

"Talvez esta cidade não seja tão ruim, afinal", pensa Sage.


Essa Fanfic foi produzida por Fernando Lopez, eu tava procurando por algumas coisas sobre o Questão e achei essa história bem legal, quem quiser ver mais, eu tirei do site Hiperfan.

Hiperfan - Histórias do Questão

Também tem de outros personagens, bem legal.

Imagem


#2 .r2

    Sou da Casa

  • Download Machine
  • 1.734 Posts:
  • Gender:Male
  • Location:Longe demais das capitais

Postou 11 setembro 2009 - 12:52

Muito boa mesmo, uma das partes que mais gostei foi essa:

QUOTE
— Fiquem atrás da linha, porra! — grita o guarda — Tão querendo levar um carro na cabeça?

"Só em Nova Iorque uma frase assim faria sentido...", pensa Sage
haha, muit boa...

"Can't you see what they do? They are grinding us down, they are taking our land, that belongs to the clans"



TRABALHOS:
Aqui na PDM ou no meu site

---------------------------
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
Imagem
------------------------------
Imagem






1 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membro(s), 1 visitante(s) e 0 membros anônimo(s)